Marian Rybicki

França

O pianista Marian Rybicki agrega duas tradições: as da Polônia (Academia de Música de Cracóvia) e da França (Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris).

Dando sequência à carreira como solista, principalmente em países do Oriente, passou a atuar como professor na École Normale de Musique de Paris Alfred Cortot em 1979.

Muitos dos seus alunos foram aclamados em grandes concursos internacionais, incluindo os vencedores dos concursos de Santander (1978), Marguerite Long – Jacques Thibaud (2004), Leeds (2009), Hamamatsu (2012) e Arthur Rubinstein em Tel Aviv (2014) e paris – Prêmio Cortot (2016 e 2020).

Participou do júri de diversos concursos internacionais, incluindo os de Pequim, Moscou (Chopin e Scriabin), Shanghai, Tóquio, Kiev (Horowitz), Monte Carlo, Tiflis, Rio de Janeiro, Porto e Jaén, entre outros.

Marian Rybicki desenvolve um importante apoio para jovens artistas no início de suas carreiras. Em 1992 ele fundou em Paris a Associação Animato, que organiza inúmeros concertos para jovens pianistas tanto na França quanto em outros países. Desde a sua fundação, a Animato convidou e apresentou mais de 800 jovens pianistas na Salle Cortot, em Paris, e vários deles ganhou importantes prêmios nos mais renomados concursos internacionais de piano.

Em dezembro de 2021, Marian Rybicki criou na França o primeiro Concurso Internacional Fréderic Chopin.

Recebeu a medalha “Gold Cross of Merit” em reconhecimento por sua contribuição à música.

  • Lei de Incentivo à Cultura
Patrocínio Exclusivo
  • Instituto Cultural Vale
Apoio
  • Theatro Municipal do Rio de Janeiro
  • FUNARJ - Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro
  • Secretaria de Cultura e Economia Criativa Governo do Estado do Rio de Janeiro
  • Sala Cecília Meireles
  • Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira
  • Alink-Argerich Foundation
Realização
  • Instituto Arte Plena
  • Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo Governo Federal